11 de jun de 2006

Por quê?


Para alguns: coincidência. Para outros: predestinação.
Para alguns: acaso. Para outros: destino.
Para mim um sonho pálpavel. o inesperado tão esperado.a história 'da' minha vida.

Sei que tudo que eu escrevesse aqui seria uma vaga abstração, palavreado inútil que não expressaria nem de longe o verdadeiro sentido dos fatos. além de ser incapaz de ser uma boa historiadora nesse momento, contando a verdade sem enfeites na ordem dos seus acontecimentos, já que estou extremamente feliz e satisfeita. mas não poderia deixar passar esse dia sem nenhuma palavra nesse blog. depois de reeler alguns dos meus posts passados vi que meu terceiro nome é meloramática!!!=]. dava mto espaço pra desilusão e não via que as feridas eram pressupostos de uma cura próxima.mas isso faz parte de 'conversa de botas batidas'. o que importa é que descobri que aquele sofrimento passado não foi a toa. ele só existiu pra que eu pudesse experimentar hoje o que é a felicidade na sua escência.

Em lembrança ao "dia" deixo aqui perguntas que fiz e que foram escritas por alguém que também fez:

"Por que aquele dia?
Por que aquela tarde?
Por que aquele lugar?
Por que aquela fila?
Por que aquele horário?
Por que aquela reserva?
Por que aquele filme?
Por que eu?
Por que você?

Por quê?
Por quê?
Por quê?"

Obrigada Deus.obrigada passado.obrigada Kubrick.



Ouvindo: norah jones - come away with me
E terminando de ler "Os sofrimentos do jovem Werther"
Trecho do livro: " Desde esse momento, sol, lua, estrelas podem seguir tranqüilas a sua órbita, que pra mim já não há mas dia nem noite, e o mundo inteiro dissipou-se à minha volta."