8 de dez de 2005

origami



Esses dias ganhei um origami, bichinho com o qual me afeiçoei muito... Ele nasceu na hora errada, entre um barulho codificado emitido por uma tal de "sol cerrado"(banda de cabeludos primitivos) e uma conversa cicatrizadora sobre um assunto ainda tão notoriamente ferido.
Esse origami branco, claro, suave q escondia em seu papel uma propaganda de uma festa tosca, não sabia o qto representava naquele momento, sua simplicidade e a sinceridade dos olhos do seu criador fizeram desperta a vontade de se compartilhar um novo coração tão branco quanto o própio origami, peraí eu disse coração?^branco? Sim... sim... branco pq era novo... um novo coração nascido na lacuna deixada pelo outro q havia virado pó...
Um origami e um coração, cansados de tanto mar em volta deles... o q fazer? Aquela q aos poucos faz funcionar o novo coração tem uma idéia:
-Então farei um barco branco!
-Moço, me vê mais um desses papéis, q estou pensando mesmo em ir nessa "grande" festa!tsctsc
...Com o material na mão e a vontade imensa de não se afogar, o barco foi construído e entregue aquele que q recebera o coração branco.
E agora?
Pra onde o barco levará aquele coração ancioso e aquele origami que permanecia calado?
"Pode ser q a maré não vire...", ou q esse barquinho navegue para uma ilha perdida, ou quem sabe os leve p/ ver o pôr do sol...

quem sabe pequeno príncipe?


Ouvindo:"Dois barcos"

3 comentários:

Olga Priscila disse...

Eu não sei se entendi muito bem a conclusão desse post... depois você me explica.
Beijos amiga linda!
=)

paulinha tavares disse...

ai amigaaa, foi vc q escreveu isso??? continua escrevendo assim q quem sabe um dia eu naum dirija um filme com o seu roteiro! uhuhu

ahh, eu faço esse origami! Chama Tzuru, é o passaro da sorte...rsrs

bjo

Valdez disse...

Sabes o caminho dos barcos poetisa.